terça-feira, 22 de junho de 2010

Noites com brisas

Estava frio, mas quando eu estou com ele não há nada contra nós. O vento me tocava e isso me fazia sorrir, em seguida ele me tocava, porém, ao contrario do vento isso fazia eu me sentir a garota mais amada desse e de outros mundos.

O que eu mais queria naquele momento, com aquelas luzes, com aquelas estrelas, aquela brisa leve, aquele sabor de paixão no ar, era que fosse só ele e eu. Nada mais me importava, pois eu estava mais do que bem acompanhada, estava com quem eu amo. Se o mundo acabasse ali eu saberia o que é ser feliz.

Foi quando a brisa trouxe até nós um aroma de damas-da-noite tão suave quanto as pequenas estrelas reluzentes no céu. Ele me abraçava com carinho, me senti amada e desejada, qual a mulher que não gosta de se sentir assim? Aquilo era verdadeiro, e se não fosse nada no mundo seria.

O cheiro das florzinhas da noite se misturava com o doce sabor daquele beijo, a lua nós observava com atenção, talvez com um ponta de ciúmes. Foi quando as palavras mais lindas entraram no meu ouvido e como um relâmpago cortaram meu coração tornando-o tão mole, que pensei que poderia toca-lo. O mais importante era a sinceridade, que existia entre nós, o "eu amo você" talvez fosse mais suave que o brilho das estrelas.

E como eu amei aquilo, são nessas noites com brisas que descobrimos que amar a si mesmo, os outros e ser amada nós torna cada dia mais felizes.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Ah! A brisa... Leva e traz aquilo que chamamos de felicidade..

    ResponderExcluir

Pesquisar este blog